Categoria: Carreira

Se você não parar, a vida não para sozinha

Estamos soterrados de coisas. Boleto pra pagar, trabalho pra fazer, horário pra cumprir, coisas pra consertar. Quando você percebe, já acabou a semana, o mês, o ano.

Pior que isso também acontece com nossa vida pessoal. Tudo fica automático: conversar com a namorada, jantar com o marido, brincar com as crianças. Vemos tudo como mais uma tarefa a cumprir. E o mais triste, tudo cansa.

Mas te digo, tem solução e o começo é bem simples.  Continue lendo

Porque desistir não dá sentido à vida

A cada 40 segundos uma pessoa comete suicídio no mundo. A cada 3 segundos alguém atenta contra a própria vida. No Brasil, em números de 2012, segundo o Conselho Federal de Medicina, acontecem no mínimo 30 suicídios por dia.

A imprensa não costuma noticiar suicídios por supostamente isso acabar incentivando outros. Essa não é a opinião da classe médica, que considera isso não apenas um mito como crê o contrário: falar sobre suicídio ajudaria.

Nesta semana foi inevitável não falar sobre um suicídio. Patrícia Santiago, jovem, casada há pouco tempo, publicou no seu perfil no facebook um texto explicando por que iria se matar e se despedindo do marido e familiares. E cumpriu o prometido. Continue lendo

A procrastinação está te custando muito mais caro do que você imagina

Você provavelmente tem um enorme defeito: você procrastina tarefas simples, que não está com vontade de fazer.

Fique tranquilo, eu não estou apenas te apontando o dedo e te acusando de algo terrível. Eu mesmo sofro desse mal e, pelo que converso e observo de outras pessoas, todo mundo tem um pouco de procrastinador em sua personalidade.

O que não é muito explorado é o fato de que procrastinar tarefas, na verdade, te custa muita energia. Você já ouviu o ditado que diz que “até um copo d’água se torna insuportavelmente pesado se você segurá-lo por muito tempo”? Continue lendo

O que é o sentido da vida?

Desde o momento em que tomamos consciência de nossa necessidade por sentido, buscamos sempre algo mais significativo para gastarmos o tempo da nossa vida. Esse desejo começa muitas vezes quando a criança brinca de ser super-herói, ali está a semente desse Sentido da Vida ainda sem forma. Na adolescência essa busca está mais voltada para si, e é interessante de ser notada. Quando o jovem começa a se distanciar da família – evita os pais, não quer nenhum sinal de carinho público, diz que eles não o entendem – podemos dizer que ele está em busca de desenvolver sua personalidade independente de um grupo que o absorva. Continue lendo

Somos todos Frodo

Escrever sobre O Senhor do Anéis é um pouco ingrato. Esta obra já foi tão analisada e discutida que todas as vezes que penso em algo novo tenho a sensação que alguém já o fez. Mesmo assim, é também inevitável tirar novas conclusões, afinal de contas, toda vez que lemos ou assistimos a obra de Tolkien somos novamente despertados.

Esses dias, pela milionésima vez, eu assisti a trilogia inteira. Estou numa fase meio órfão de séries e todos os filmes que selecionei anteriormente me pareceram pouco atrativos. Então, o negócio é partir pro Vale a Pena Ver de Novo. Continue lendo

O primeiro passo para a vida adulta

Conversei no começo do ano passado com uma moça bastante jovem. Do alto dos seus dezesseis anos, ela estudava já pensando no vestibular e me falava sobre sua rotina no colégio. Mas, como era de se esperar, esse não era o real motivo pelo qual me procurou: na verdade, ela sofria de amor.

Seu namoro já não ia bem das pernas e ela, entre muitas crises e poucas certezas, estava muito confusa com tudo o que vinha acontecendo. Nossa conversa foi rápida, mas o suficiente para perceber que ela só quer, só pensa em namorar.

Continue lendo

Aprendendo a morrer com Johnny Cash

Johnny Cash faleceu aos 71 anos, em 2003. Dois anos depois sua história da infância à união com June Carter – a mulher de sua vida – em 1968, foi levada aos cinemas. Walk The Line (no Brasil, Johnny e June) não é ruim, mas como a vida posterior dele, especialmente da década de 1990 até sua morte, foi mais do que relevante, ressignificando tudo que fez e lhe aconteceu antes, o filme é, no fim das contas, um desperdício incrível de boa história, de vida.
 
Mas talvez não tenha sido desperdício. A intenção de Cash quando decidiu filmar sua história, em 1998, não era, segundo o produtor James Keach, a de fazer: “Um filme sobre drogas, sexo e rock’n roll, mas sobre sua jornada como homem, seu amor por June e o fato de que Deus estava no centro dessa história”.

Continue lendo

Transcenda o seu umbigo

Buscamos a felicidade incessantemente. Ouvimos pelos quatro cantos do mundo a idéia de que o sentido da vida é a felicidade ou que o homem nasceu pra ser feliz. Outra crença bastante difundida é a de que devemos fazer o que nos deixa feliz. Claro que alguém pode questionar: “mas você quer que sejamos tristes?”. A questão aqui não é essa. Continue lendo

Mais barbeiros, menos barbearias

Das coisas que mais me faziam falta, cortar cabelo em barbeiro das antigas. Nos últimos meses até encontrei um ali no Mercado Municipal aqui de Curitiba, mas o ambiente muito família, filha e irmã do tiozinho atendendo junto, aí… Entende? Nada daquele ambiente seguro para demonstrações de macheza inexistentes fora dali – salvo nos puteiros, tão teatrais quanto.

Quando era menino meu pai levava os filhos em barbeiro digno do nome e deixava solto, com a natureza seguindo seu curso entre as páginas 18 e 42. Continue lendo