Você não tem tempo para nada?

Você não tem tempo para nada, eu sei. O que você gostaria de fazer não cabe no seu dia. É o emprego que consome as energias ou os estudos que te impedem de fazer mais ou a família que toma seu tempo livre. Afazeres demais, compromissos diários, hábitos difíceis de mudar, cansaço, irritação, stress. E a vida parece que passa como um trem que nunca pára para você entrar.

Enfim, desculpas e justificativas não faltam para a aparente falta de tempo. E assim seus projetos e sonhos vão ficando para depois. Quem sabe quando você se aposentar? Haverá tempo daí? 

 

Mas não é preciso esperar ter tempo para ter tempo. Sempre há tempo quando queremos. Provavelmente você já deve ter lido e escutado isso zilhões de vezes de algum guru de auto-ajuda. Eles têm razão, ainda que apenas digam o óbvio embalado em discurso motivacional ou pseudo-filosófico.

Bons exemplos disso encontramos nas vidas de artistas. O sujeito que quer ser ator, pintor, escritor, músico, quase sempre sofre para conseguir se realizar trabalhando concomitantemente em outras coisas, muitas vezes vive de bico durante anos, só conseguindo se dedicar à sua arte nos intervalos, que ele tenta otimizar como pode. Vou dar alguns exemplos de escritores.

Ray Bradubry, conhecido autor de ficção científica, como o famoso Farenheit 451, trabalhava onde desse e quando desse. Em suas palavras: “Eu consigo trabalhar em qualquer lugar. Escrevia em quartos e salas-de-estar quando vivia com meus pais e irmãos em uma pequena casa em Los Angeles. Trabalhei na minha máquina de escrever na sala, com o rádio ligado e meus pais e irmãos falando ao mesmo tempo. Mais tarde, quando quis escrever Fahrenheit 451, ia à UCLA (Universidade da California) e encontrei um sótão que era um sala de máquinas-de-escrever em que se você inserisse 10 centavos na máquina você comprava 30 minutos do seu uso.” 

Anthony Trollope, autor inglês de inúmeros romances, trabalhava nos correios. Como ele arranjava tempo para escrever? Acordava às 05h30 da manhã e escrevia até às 08h30, com o relógio na sua frente. Ele exigia de si 250 palavras a cada 15 minutos. Se ele terminasse uma novela antes das 08h30, pegava uma folha em branco e começava outra. Depois das 08h30 passava o dia trabalhando nos correios. Além disso, ele caçava duas vezes por semana. Sob esse regime ele produziu 49 novelas em 35 anos.

Mas você pode estar pensando que nenhum deles teve mulher e filhos para cuidar. Então conheça como era a rotina de Alice Munro, vencedora do Prêmio Nobel de 2013: “Eu tinha filhos pequenos, não tive nenhuma ajuda. Foi na época em que não havia máquinas de lavar-louça, se você consegue acreditar nisso. Não havia como eu conseguir tempo. Não podia olhar adiante e dizer ‘isso vai me levar um ano’, porque pensava que a cada momento algo aconteceria e tomaria todo meu tempo. Então eu escrevia aos pedacinhos com uma expetativa de tempo limitado.” 

E ela ganhou o Prêmio Nobel assim. 

“Ah, mas são artistas, gente diferente, criativa”, sei que você está respondendo algo assim em pensamento. Mas não é isso que os fez realizar algo na vida. Substitua todos e qualquer um por algum vestibulando, concurseiro, estudante que precisa trabalhar para pagar estudos, e veja se não fazem sacrifícios semelhantes ou até maiores para conseguirem o que querem. Ou aqueles que acordam bem cedo ou vão bem tarde para fazerem academia, nadarem, correrem, tudo porque querem estar bem de saúde ou serem “fitness”.

O que explica todos conseguirem tempo para fazer o que querem é justamente possuírem um objetivo claro que realmente desejam alcançar, realizar. É isso que faz com que arranjem tempo quando parece não haver nenhum.

Ou seja, se você é deses que acha que não tem tempo para nada, é hora de parar para pensar na sua vida. Reserve meia-hora, pelo menos – pode ser durante o almoço. E se questione sobre seus objetivos. Será que você tem algum? Se tem, será que você realmente o quer? Dificilmente alguém que responde “sim” a ambas as perguntas tem problemas de inação e nunca culpa a falta de tempo, mas faz o possível para aproveitar o tempo que tem.

Agora, se você respondeu “não” a alguma delas, então, saiba, você poderia ter todo o tempo do mundo que ainda assim não arranjaria tempo para nada. Seu problema não é a falta de tempo, é a falta de objetivos.

E como fazer para ter objetivos? Aí é outro problema que falaremos em outros textos. O que dá para adiantar é o seguinte: se você não tem objetivos ainda, tome como objetivo fazer da melhor maneira possível o que tem para fazer hoje, tenha você escolhido isso ou não. Fazer as coisas bem-feitas já é ser e viver melhor do que reclamar da vida e da falta de tempo.

 

Curso Buscando o Sentido da Vida
Você conhece o curso “Buscando Sentido da Vida”? Clique na imagem e saiba mais!

Se você gostou deste artigo, dê um ❤ nele lá na nossa fanpage (clicando aqui), compartilhe-o com alguém e deixe o seu comentário. Não só me fará muito feliz, como também enriquecerá a discussão e ajudará para que este post chegue a mais pessoas. ????

 

 

 

 

Tags:

  • Francisco Escorsim naufragou como bacharel em Direito, tornando-se professor de educação da imaginação e formação do imaginário. É escritor e colunista de vários sites e do jornal Gazeta do Povo.

    • Mostrar Comentários (0)

    Your email address will not be published. Required fields are marked *

    comment *

    • name *

    • email *

    • website *

    You May Also Like

    Maturidade #3 – fazer o que deve ser feito

    Amigos de longa data, eles se encontravam quase toda semana para aquela cervejinha na ...

    Superando as marcas do passado: como reconstruir um coração em ruínas

    O futuro de todo relacionamento tem apenas duas alternativas: seguir em frente e tornar-se ...